Saturday, November 12, 2005

o quarto de parede verde

naquele quarto de parede verde mora um sonho. pela porta entreaberta vejo suas pernas compridas. Os travesseiros largados, roupas sobre a cadeira, colares e pulseiras na caixinha transparente, a escrivaninha, o baixo vermelho ao lado da cama, a caixa de som enorme com seus fios vermelhos, o quadro de cortiça completamente nu, porta retratos q não são seus, o all star preto meio surrado, e aquele resistente ventilador de teto. seus habitantes sempre foram assim, desarrumados. entro e fico ali parada observando cada detalhe. se fechar os olhos sei cada objeto de cor mas sinto necessidade de olhar de novo pra cada um deles. tento fazer c q o silencio seja nossa companhia. não quero que nada quebre aquele encanto. já e´manhã mas pra ele é como se a noite tivesse somente começado. mas enfim, pra q serve a diferença entre o dia e a noite qdo a gente fala em sonho? sento ao lado da cama. seu corpo é bonito e suas costas largas parecem esperar um carinho. atendo o pedido e lhe faço um dengo, sem nenhum sacrifício. ele se mexe e abre um leve sorriso. essa é a linguagem que nos aproxima. de alguma forma ele sabe q estou ali. seu sono é tranqüilo

.naquele corpo longo, esguio, mora um sonho, um sonho de voar bem longe, um sonho de viver sozinho, um sonho de conhecer o mundo, um sonho q também foi meu e q de certa forma ainda o trago guardado aqui comigo. em breve sei q esse sonho vai criar asas e pegar uma pequena mochila, onde levara algumas roupas meio envelhcidas e desbotadas, o all satar , um disk man e alguns cds e com um beijo se despedirá sem lagrima ou saudade aparente. mas nós dois vamos saber q ela estará ali. te amo tanto filho!

sinto um desejo enorme de ficar ali parada e penso o que mais ele levara naquela mochila. tenho medo sim e penso que eu deveria ter morado num quarto de parede verde

encruzilhadas

certo dia escrevi esse pequeno texto pra alguém que fez da duvida sua companheira.

caminhos são escolhas. escolhas são opções.
opções são encruzilhas. encruzilhadas são duvidas. em frente ou à direita? não se preocupem. dúvidas nos acompanham a vida inteira. nem sempre os 2 caminhos dão no mesmo lugar mas nunca vamos saber se acertamos se não tivermos a coragem de decidir. se o caminho não der certo sempre há a possibilidade de procurar um atalho ou ate outro caminho. o bom é que ha sempre uma luz no fim ou por perto da estrada. mas não esqueçam:as vezes nós mesmos é que trazemos a luz pra iluminar a estrada.

cada dia tenho mais certeza disso.

bjo a todos q passam por aqui.

o sabado esta com cara de domingo

o sábado está com cara de domingo. ou será que eu é que estou domingo demais pra entender q hoje é sábado? o nada- pra- fazer do domingo se instalou no sábado deixando pistas erradas e confundindo o meu humor de tal modo q não fosse possível descobrir q hoje e sábado. sábado é paixão. domingo é morgação..

onde foi parar aquela animação, aquela efervescência, aquele cheiro de festa, os sons de copos nas mesas, as risadas e as conversas altas do sábado?! pq os sons que me chegam hj em nada lembram esse clima de festejo? pq a música é mais lenta e baixa, pq só escuto aquela insuportavel voz narrando futebol? tem alguma coisa mais parecida com domingo do que futebol????

hoje sou domingo - preguiça. não. não sou apenas domingo. sou domingo sem sol.

alo!!! alguém me devolve o sábado? perdi onde? ofereço recompensa. ok! mas vou avisando : quero o kit completo, c aquela alegria , muita paixão e emoção. e não tente me enganar com uma fantasia de quinta ou sexta feira. ta bom. prometo me despir inteira, tirar esse pijama , vestir uma roupa bem bacana e recebê-lo com todas as honras. mas por favor, eu quero meu sábado de volta e deixar o domingo dormindo, preguiçosamente, no seu devido lugar. e ponto.

Friday, November 04, 2005

ahhhhh uma massagem

tenho sentido saudades da companhia de voces, mas o tempo tem sido cruel e não da uma tregua para o ocio criativo. me pergunto todos os dias como fazer pra acertar o tom, pra conciliar, pra cumprir os prazos, porque estou sempre em debito. me sinto sem forças. travada. engessada com tantos compromissos . meus ombros pesam e sinto um estranho ardor que me percorre a nuca. em breve estarei de volta. por agora preciso de uma massagem. beeejo a todos e ate breve

Friday, October 28, 2005

Parabéns pai

Quem sabia que 25 foi o dia do dentista?

Cheguei em cima da hora.Cinco minutos apenas me separava daquela frase “Isso são horas ?” Do estacionamento ao prédio a caminhada parecia longa. As lojas no centro despertavam ainda. Na minha cabeça era madrugada. Mas eu estava ali com a sensação que tinha perdido muito tempo naquela caminhada. O elevador chega e sozinha cumprimento o ascensorista. Subimos em silencio, levando só o barulho do ventilador. Oitavo diz ele. Desço ainda apressando o passo .É cedo e ninguém na sala de espera.

-Paaaaai!! Cheguei.
- Oi minha filha, vamos entrando
-E isso são horas? -Vc não tem jeito.Quase não vai dar tempo da gente fazer nada . A Marta deve ta chegando ai. Mas aquela é outra, ta sempre atrasada também. Eu não sei a quem voces puxaram, mas eu sou assim, não aceito atraso. se eu marco com um cliente não o deixo esperando. Vocês deveriam fazer o mesmo

Sento na cadeira mas não antes de observar tudo em volta. Percebo algumas coisas na estante que deveriam estar noutro lugar e olho novamente no entorno. Sua velha mesa de trabalho, a antiga cadeira preta que balança e gira ao mesmo tempo, desconectadamente, aquele sofá preto em frente ao birô.É como se eu tivesse voltado no tempo.Uma pasta preta de couro, antiga, abandonada, descansa no chão, ao lado do sofá.
-Pai, o q essa pasta ta fazendo aqui?
-Não tenho mais canto pra nada minha filha, então deixei ai
-E isso o que é?
-Oh minha filha deixa isso pra lá

-Vamos trabalhar, depois voce olha isso.
-Ta certo pai, mas depois vamos da uma ajeitada nas coisas?Tá bom de pintar essas paredes. e trocar esse carpete.E o ventilador? Esse aí já deu o que tinha de dar.
-Lá vem você e a Marta. Eu já disse pra vocês:eu não vou mudar mais nada aqui não. Ta bom demais pra mim

Sento na cadeira e ele prende com duas presilhas bem pequenininhas, que passam em volta do meu pescoço, uma toalhinha com desenhos infantis. Na minha frente o ventilador velho de coluna, a janela aberta deixa correr um ventinho da manha, a cortina japonesa e muita, muita luz natural. Da janela vejo quase a mesma paisagem de muitos anos atrás. De novo, somente o IJF com seu heliporto, e as antenas nas coberturas dos edifícios. Sinal que o centro praticamente não mudou.

-Abra

Abro a boca. e fecho os olhos. Acomodo meus óculos na bandeja de inox ao lado e ele se concentra no trabalho. Braços fortes, Mãos firmes. Sem luvas,e muito menos aqueles óculos transparentes de soldador,aparatos de qualquer jovem dentista, porque isso não é coisa do seu tempo e ele nem quis se acostumar Também não tem atendente porque já não tem paciência de ensinar .
O motor preciso, certeiro grita no meu ouvido

-Água. Bocheche.
-Cuspa
-Ah meu deus isso aqui não esta dando certo.Aqui tinha aquele compressor mas o Caio mudou o sistema. Agora tenho que ficar regulando. Bem que eu disse que isso não ia dar certo.
-Agora pode ficar assim de boca fechada porque eu vou preparar
-Onde será que ele botou o material? Porque ele muda as coisas de lugar?
-E a Laninha como vai? Já esta falando muito bem o inglês?
-Nem tanto pai, pq ela convive muito com brasileiros. Mas ela está estudando.
-E já fala em voltar?-Ah minha filha, podendo ter acabado logo essa faculdade...-Eu não sei como vocês podem concordar com uma coisa dessas
-Não tem nada pra concordar pai.-A gente não pode ter controle sobre a vida dos filhos.É a vida dela e eu quero que ela seja feliz.-Quando voltar, termina.O tempo que perdeu na faculdade ganhou de experiência. Ela é muito nova ainda e isso não vai atrapalhar a vida dela por aqui não. Talvez ate ajude.
-E o Dieguinho? O que é mesmo que ele faz? Computação?
-É, na UECE, mas esse semestre ele trancou eu já lhe disse. Ele agora quer fazer UFC. Engenharia de teleinformática, e se passar, fica nas duas.
-Ah sei
-.E aquele brinco no nariz ele ainda ta usando ?
-Ta sim pai é o piercing.
-Esses modernismos!

Observo os movimentos. Mãos hábeis de artista,de escultor. Destreza. Firmeza. Experiência. Capricho em cada detalhe. Busca de perfeição quando esculpe e molda - -

-Vamos experimentar agora

Segura aquela minúscula peça na posição correta .Encaixa
.
-Agora morda. Ta alto?
-Ta sim pai

Escolhe uma broca. E com ela começa um paciente exercício pra deixar a peça no tamanho e altura certos, como num quebra cabeça que só cabe ali naquele lugar
Mede com um pequeno instrumento os milímetros, Experimenta de novo .Diminui a espessura com o motor e mede novamente.

-Ainda ta alto?
-Não. Agora ta bom
-Essa aqui eu vou mandar pro laboratório

-Água.
-Bocheche
-Pronto. Por hoje é só

Não tenho medo. Não sinto dor.Relaxo na cadeira como se aquilo fizesse parte do meu cotidiano. Eu, assim como mana, e pra surpresa de muita gente, tenho a capacidade de quase dormir na cadeira, entre conversas e trabalhos que não exigem anestesia, é claro.

E Ele, continua seu ritual de todos os dias, trabalhando pelo prazer de ser e continuar ativo. Com 82 anos resiste. Não se entrega apesar de não ganhar dinheiro. Se duvidar quase paga pra continuar trabalhando já que nunca cobrou seu oficio de ninguém da família, nem de filhos, noras, genros, netos, sobrinhos irmãos, cunhados, muitos amigos e sabe mais la de quem, além de parentes e aderentes. Pra ele é assim. Ganhar dos nossos, jamais!
É Ético. É certo.
Ali preguiça é palavrão, não se reclama da lida. Aprendi bem cedo que trabalho é isso. É prazer. É vida.
E amanha tem mais
E assim com o tempo, vou admirando esse homem, esse profissional sempre e cada vez mais, com suas qualidades e imperfeições

Queria parar o tempo. Te amo sempre pai

Parabéns!!. Dia 25 foi o Dia do Dentista

Sunday, October 23, 2005

a visita que virou festa

Era Domingo. Tocamos a campainha e rapidamente ela abriu a porta. A surpresa foi boa. Percebemos a fisionomia serena e alegria na nossa chegada. Um abraço forte nos confirmou. Pensei no que lhe dizer, e mais ainda no que não lhe dizer. Ensaiei algumas palavras, mas elas fugiram já na primeira frase. Não havia nada a planejar. A conversa fluiu solta, pq entre nós funciona assim. Não há sensores. Falamos das dores sim pq ali elas estavam presentes, e a nossa natureza não nos permite calar, mas elas logo se foram e em seu lugar ficaram a risada frouxa, a conversa alta, e a expectativa de novamente a campainha tocar. Mais visitas. Na chegada novos abraços, aconchego, e a roda se amplia folgada. Novas conversas e assuntos pra mil dias. A festa estava instalada. Agora o assunto é a formatura dos filhos, o nascimento de netos, as historias dos que viajaram, dos que chegaram, os amores, as fotos e mais conversas.Amigas e filhas.Amigas e tias. Mães e filhas. Amigas e Amigas .Ali a gente ia e voltava no tempo e nos lugares.Quem diria ?As idades e as lembranças se misturam e são quase uma coisa só. Lembranças do passado e do presente, assim juntas, saudades antigas e novas.em harmonia. Um sentimento de paz e uma alegria imensa me encheu o peito. Olhei em volta pra guardar aquela imagem. Congelar o momento.Ali faltavam algumas pessoas, mas de alguma forma elas estavam presentes. Me dei conta mais uma vez do tesouro que temos. Amizades
Amo vc minha amiga. Aqui mais de longe, do meu teclado, pensei q poderia lhe falar de coragem. Mas so me vieram palavras e imagens de vida, muita vida e percebi que vc não precisa que lhe falem de coragem pq é vc quem nos fala dela todos os dias.
Bjo grande

Tuesday, October 18, 2005

eu nao tenho que nada

confesso q fiquei feliz. fiquei sim. senti cumplicidade, afeto e um carinho adocicado nas palavras de quem passou por aqui. tomara q eu consiga seguir compartilhando emoções e ganhando essas estrelinhas q vcs mandaram. marcelo, marco aurelio, igor, rita, mariana e ate pita com esse indecifravel codigo "pitês"

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx------------xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O dia não me parece igual aos demais. Não pq amanheceu nublado ou ensolarado mas pelo gosto de liberdade q esta na minha boca,pela vontade q eu sinto de chutar o balde, rasgar compromissos assumidos a ferro e fogo comigo mesma, tocar fogo em convenções ridículas, e de gritar ao mundo que EU NÃO TENHO QUE NADA. absolutamente nada. dizer q td foi engano, e não sentir culpa.
alias, repito, EU NAO TENHO QUE NADA!! Não tenho que
entender de política,
emagrecer,
conversar sobre o ze dirceu, o lula ou marcos valerio ( alias eu não tenho que odiar o lula)
ser obediente,
trabalhar enlouquecidamente,
ir ao caixa eletronico,
chegar cedo em casa,
botar botox
ir a lugares q eu nao gosto
responder a correntes
ser simpática,
ganhar essa miséria
ficar em casa sábado a noite
ter opinião formada sobre o referendum
ficar calada
usar cinto de segurança
ter uma casa bem decorada,
precisar de carro novo,
ter um batom da lancome
botar silicone
gostar de whisky ou cerveja
fazer ginástica
ter unhas grandes
caminhar todos os dias
assitir o filme q ganhou o oscar
ler a veja
gostar de celular
escolher os pratos pelo preço
fechar os vidros do carro no sinal
ser politicamente correta

porque na verdade o unico compromisso q eu tenho que ter comigo é ser feliz.

a lua ta linda. e o dia não parece igual ao demais.

bom dia

Monday, October 10, 2005

e falta de filha acostuma?

sexta feira, 07/10

esses dois ultimos meses não foram mesmo muito faceis.e a ultima semana então...nem se fala.
nervos à flor da pele. ansiedade, medo, instinto de proteção. saudade demais da conta e pra completar os planos que mudam a cada dia. ansiedade, medo. nervos a flor da pele.

queria ta com ela nesse aniversario estranho.o primeiro tão longe. e só. planejei diferente. ela também. precisa fazer 22 anos assim, em clima de despedida?mas tento olhar pro outro lado, desviar a atenção e penso q vida nova precisa de lugar novo. então, é bom fazer 22 anos em clima de despedida. lugar novo, vida nova.

penso na festa daqui. entrar no quarto dela e acordar c uma bandeja de cafe da manha com nescau, sandwish e bolo, penso no movimento q ia começar de manha, no telefone que não ia parar de tocar, nas combinações sem fim pra decidir o lugar, no banho comprido, na zuada do secador, telefone tocando de novo, : ja vou. to quase pronta. mãe tá bom? será que fica melhor assim? ah não lana, tu vai mudar de novo???
ta certo. ja sei. tenho q me acostumar. e falta de filha acostuma?

xxxxxxxxxxxxxx-------xxxxxxxxxxx

ai chego em casa em cima da hora. sabado. dia do aniversario do raphaelzinho. apressada, subi as escadas correndo e encontrei o diego no telefone. mãe, fala aqui.

-mãããããe
-oi amor, diz
-to aqui. a viagem foi otima
-ave...graça a deus
-trouxe toda a minha bagagem. coube tudo no carro.
-ei mae, to chegando em n york. to vendo a ponte. é linda!

enfim chegou. pra se mudar de novo. e a ponte tem luz so pra iluminar o seu caminho. a ansiedade baixou, mas a saudade continua aqui, cada vez mais passando da conta.

seja feliz filha. te amo demais.

divagações

“Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás para atravessar o rio da vida – ninguém, exceto tu, só tu.”Friedrich Nietzsche

Pensi em tanta gente quando li esse texto q percebí finalmente o obvio. Ele é universal mesmo. E daí eu me perguntei: e eu, q ja construí a metade das minhas pontes, será q vou conseguir atravessar por elas? sinto q tenho q reforçar tantas passagens...
E voce, o que me diz das suas?

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

alguem sabe de fato o q significa saudade, mas o sentido propriamente dito , a essência , a cor, o cheiro, ave ...eu conheço cada detalhe, sinto seu toque, seu abraço a cada noite, sua voz q me acorda chorando, ahhh saudade ...tantas definições e um sentimento apenas. li num texto da mariana, a barbra brusk, alias passem lá pq é muito bom de ler("barbra brusk não fala ingles no canada"), q saudade é a impossibilidade de estar junto. simples, né? a gente é que complica. e se é assim tao simples, por que tem que doer tanto???
Ah Lana , q falta que voce me faz

a primeira vez a gente nunca esquece

Sou nova aqui no pedaço. Hóspede nova, recém chegada. Me disseram q aqui é um bom lugar, que tem bons vizinhos e vista pro mar. Eu acreditei pq sempre primeio acredito, pra depois desacritar se assim for o caso. Mas sou otimista e tenho a sensação q aqui será uma boa morada. Aqui tem cara q posso botar a cadeira na calçada ou na varanda, e jogar conversa fora, apanhar algumas , plantar outras, receber velhos amigos e conhecer novos, gente q faz tempo q não vejo e outros q nunca vi o rosto. É bom saber que posso puxar mais uma cadeira e aumentar a roda. Puxe a sua também e seja bem vindo.

Hoje, decidí trazer um antigo texto q escrevi qdo fiz um blog pela primeira vez. É uma homenagem a uma amiga . Muito amiga e querida meeeeeesmo !Queria q vcs a conhecessem e queria q voces entendessem como foi a minha primeira vez. A partir de agora espero estar aqui mais frequentemente e compartilhar com voces muitas das coisas q penso aqui com meus boões. Um abraço e espero todos voces.


Geeeente, é a minha primeira vez!

Pois é, será que com o blog a primeira vez a gente também nunca esquece? Sei que vcs são compreensivos, então vamos com calma, tenham paciência pq confesso que a minha ansiedade é grande. Confesso também q já tentei outras vezes mas não deu certo. E aí cabe uma comparação meio idiota. É como nos namoros de antigamente, em que as meninas iam quase até o fim, topavam e permitiam quase tudo mas depois de tantos amassos, a película mágica, ou inútil como a Fernanda Young faz questão de chamar, ainda está lá, intacta, e a menina, pasmem só: pura e virgem. Ou é o contrario? ah me poupem, virgem até que tudo bem mas pura já é um pouco demais não é não? Pois bem, imaginem só que o meu desejo de ter um blog já é quase antigo. Minha queridííííííssima amiga Rita, sempre falava com tanto amor e carinho do seu que me despertava uma curiosidade danada. Depois, quando visitei suas memórias foi amor a primeira leitura e aumentou mais ainda quando visitei tambem o da Mariana. Que coisa linda a palavra! Decidí naquele mesmo dia : teria o meu! Vasculhei na internet até encontrar o manual de fazer blog, uma simplicidade fantática, intrigante até. É claro q naquele momento eu não estava interessada em nada muito rebuscado. Eu só queria escrever, e fazer uma homenagem. À Rita, é claro. Voces podem até não entender mas com o tempo isso se esclarece. Ou não. Não importa. O que importa é que eu queria dizer prá ela do enorme carinho, do amor que tenho, do quanto é bom ter amigos, amigos que não cobram, mas que estão sempre alí, solidárias e firmes. Escreví um longo texto. A minha homenagem. Um pouco longa demais talvez, assim como eu, esticaaaaada, que encompriiiiiida as coisas,sabe com é? E não poderia ser diferente. Eu não sou assim objetiva, curta, como voces já perceberam. E a Rita não é uma Rita qualquer. Ela é A Rita . Filha de uma outra Rita maravilhosa. A Tia Rita que também eu gostaria de homenagear um dia. Mas isso não vem ao caso agora. O que interessa é que tudo começou com a Rita por perto. A minha vida profissional, a virada do meu casamento, a chegada dos filhos,-as alegrias de cada dentinho, os medos de cada febre, os conflitos que vêem junto com a adolescencia. E agora mais uma vez, com o blog ela estava alí por perto e isso era maravilhoso.
Então, com o meu longo texto,e seguindo as orientações,clikei em postar e assim de repente não mais que de repente, aquilo tudo sumiu, como num passe de mágica, e eu perdí tuuuuudo!
Até hoje não sei que merda eu fiz ou se o programa ou o manual é que são uma merda mas o fato é que aconteceu assim a história entre o blog, eu e a Rita . Fiquei com tanta raiva que não escreví mais ao longo de varios meses. Mas felizmente passou (porque meu coração não tem espaço prá mágoa)e resolví recomeçar. Agora estou aqui tentando fazer tudo de novo. Vasculhando na internet,procurando as instruções. Decidí escrever meu texto noutro lugar e copiar depois. Não sei se vai dar certo mas a minha intuição diz que corro menos riscos. Estou sem a mesma inspiração da primeitra tentativa mas nem por isso o amor e o carinho que sinto pela Rita é menor. Esperei alguns dias tentando lembrar trechos do primeiro texto pq ele era realmente especial mas não conseguí. Que pena minha amiga, queria tanto lhe fazer uma homenagem em grande estilo. Quem sabe outro dia quando as palavras já estiverem fluindo mais leves e soltas, e eu já esteja mais adaptada com as coisas do blog eu escreva cronicas, e com certeza numa delas voce Rita será , como tem sido na minha vida, um personagem especial.
Espero enfim que esta seja realmente a minha primeira vez!!!